• 02 de dezembro de 2021 às 17:18h
  • Antônio Jordão

Mais do que merecido! Nesta quarta-feira (1), véspera do Dia Nacional do Samba, Zeca Pagodinho se tornou imortal da Academia Brasileira de Cultura (ABC). Um dos maiores nomes do gênero, o compositor ocupou a cadeira 29, cujo patrono é Francisco Alves.

Ao lado de nomes como Fátima Bernardes, Christiane Torloni, Lilia Cabral, Ney Latorraca e Carlinhos de Jesus, o sambista foi condecorado em cerimônia realizada no Centro Cultural da Cesgranrio. Zeca recebeu, ainda uma medalha e um fardão nas cores vinho e dourado, que representam o amor e a riqueza de espírito.

Carlos Alberto Serpa é o fundador da Academia. Em depoimento ao Gshow, ele explicou o motivo da criação.

“A cultura está passando por um momento difícil, por isso, precisamos unir forças para garantir que os nossos jovens tenham ambiência cultural. Essa Academia tem como objetivo apoiar e levantar recursos para projetos culturais”, declarou o presidente da ABC.

Por meio das redes sociais, a equipe de Zeca celebrou o título:

“Viva a cultura brasileira e viva os artistas que lutam diariamente para levar suas criações para o público! E viva o samba, que deve ocupar todos os espaços! Das rodas de samba às cerimônias da Academia”.