• Geizon Paulo

Cantor Tiee pediu desculpas após show no Rio que provocou aglomeração. (Foto: Reprodução/Instagram)

Após a repercussão negativa provocada pela realização de um show na noite desta segunda-feira (10) em uma casa noturna em Marechal Hermes, o cantor Tiee se desculpou pelo evento ter provocado filas e aglomeração de pessoas dentro e fora do local do evento durante a pandemia. Em sua defesa, o pagodeiro alegou a necessidade de trabalhar e a garantia dos organizadores do evento em cumprir protocolos para garantir a saúde dos profissionais e do público.

“Meus amigos, peço desculpas, mas fui chamado a trabalhar. Como todo brasileiro e brasileira, tenho meus compromissos, pessoas que dependem de mim e do meu trabalho. São quase seis meses sem trabalhar! (…) Concordei com a contratação após a garantia dos organizadores de que haveria o cumprimento de todas as normas de segurança em relação à saúde de todos. (…) Minha intenção não foi desrespeitar ninguém, ofender ninguém. O chefe de família falou mais alto”, disse o cantor em nota de esclarecimento enviada à imprensa.

O show ’Resenha do Tiee’ no Boteco Capadócia, em Marechal Hermes, tinha sido anunciado no dia 21 de junho, mas a realização só foi confirmada mesmo há cerca de uma semana, mesmo havendo um decreto na cidade do Rio de Janeiro proibindo eventos fechados, como shows, durante a pandemia.

Em maio, Tiee revelou que havia contraído a Covid-19 e chegou a alertar as pessoas para a seriedade da doença. “São mais de 15 dias nessa guerra com esse vírus maldito que acertou minha família em cheio. Hoje é o meu melhor dia e só Deus sabe a força que tenho que fazer para falar simples palavras com vocês. Peço que orem por todos os meus, levem isso a sério porque é realmente devastador”, disse o cantor na época.

 

Leia o comunicado de Tiee na íntegra e assista a vídeos que mostram a aglomeração no local do show:

“Meus amigos, peço desculpas, mas fui chamado a trabalhar. Como todo brasileiro e brasileira, tenho meus compromissos, pessoas que dependem de mim e do meu trabalho. São quase seis meses sem trabalhar! Em um primeiro momento, eu fiz trabalho social para ajudar pessoas que direta ou indiretamente foram afetadas pelo vírus. Eu sei bem do que se trata, senti na pele.

Concordei com a contratação após a garantia dos organizadores de que haveria o cumprimento de todas as normas de segurança em relação à saúde de todos.

Segundo foi informado pela produção do evento foi verificada temperatura, fornecido álcool em gel e exigido uso de máscaras quando do ingresso do local.

Como diz a poetisa, “sempre fui obediente…”, mas fui chamando ao trabalho, de onde vem o meu sustento e o de muitos que me acompanham.

Minha intenção não foi desrespeitar ninguém, ofender ninguém.

O chefe de família falou mais alto. Desculpa!”