• Geizon Paulo

Prefeitura do Rio liberou a realização de rodas de samba, em mais uma etapa da flexibilização na pandemia. (Reprodução)

Após quase oito meses de restrições, rodas de samba e pistas de dança estão liberadas na cidade do Rio de Janeiro. Nesta terça-feira (3), o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, anunciou que dará início a sétima fase de flexibilização do município, o último estágio de reabertura previsto pelo governo municipal em meio à pandemia do novo coronavírus.

As rodas de samba estão permitidas, desde que sejam realizadas em ambientes abertos ou em locais fechados respeitando regra de distanciamento de 4m² por pessoa. Nas quadras de escolas de samba, os eventos deverão ocorrer com mesas e cadeiras numeradas. Caso as rodas de samba aconteçam em ambientes abertos como praças, parques e praias, é necessário delimitar a área para preencher apenas 50% da lotação.

As pistas de dança também estão liberadas em lanchonetes, bares, restaurantes, food parks e eventos sociais. Nas casas de show e boates, ainda vale a regra de reserva de lugar numerado, com liberação apenas de 2/3 da capacidade do local.

A nova fase de flexibilização libera ainda a permanência de banhistas na areia da praia e a volta da venda de bebidas alcoólicas e aluguel de cadeiras e guarda-sol por parte dos vendedores ambulantes. A prática de esportes coletivos também está liberada. Escolas e creches estão autorizadas a voltar a funcionar, mas, segundo a prefeitura, a reabertura da rede municipal de ensino vai ser feita voluntariamente, com cada instituição definindo quando e como será feito o retorno às atividades escolares.

Permanência de banhista, aluguel de barracas e venda de bebidas alcoólicas por ambulantes também estão permitidos (Reprodução/Internet)