• Antônio Jordão


Volta e meia, o cantor Eduardo Costa ganha as páginas dos sites de celebridades e os motivos são os mais diversos: trabalho, música, relacionamentos, mudanças no visual…

Sem dúvida, o que gerou mais polêmica na vida do artista foi o seu posicionamento político. Na Resenha Proibidona da última quarta, ele disse que não quer mais saber disso, pois perdeu amigos e levou muita “porrada”:

“Eu quero que as pessoas me conheçam como artista, como músico, e não como um cara que fica falando aos quatro cantos sobre política. Hoje, de verdade, eu não tenho mesmo vontade de falar disso e nem fico participando, ouvindo sobre política. Nem ouço mais, nem sei o que tá acontecendo na política“, revelou.

Eduardo fez questão de deixar claro o seu posicionamento político e justificou a sua escolha:

“Eu fui um eleitor da esquerda durante 12 anos, tá? Não é um conceito de direito e esquerda, tá? Nunca teve isso. Foi uma revolta momentânea por causa de tudo que tava acontecendo de corrupção, então, foi naquele momento, mas não necessariamente eu tenho um ideal político, nada disso”, esclareceu.

Assunto delicado em qualquer lugar, o cantor contou que estava tendo atrito entre familiares, amigos e fãs e reconheceu que vinha passando dos limites:

“Eu comecei a perceber que eu tava ficando chato. Não vou perder os meus amigos por causa de política, mas também não quero que as pessoas me percam. Não tenho mais isso, até porque eu tomei pancada pra caramba e não quero mais isso, não“.

No vídeo abaixo, você confere a entrevista na íntegra. Nessa resenha, Eduardo Costa também falou sobre o bem que a Pandemia fez pra ele, artisticamente. Além disso, vocês vão ficar sabendo sobre o status atual do cara e os planos para o futuro. Ele já adiantou que vai aumentar o tempo de shows, mas que a quantidade será reduzida.