• 02 de fevereiro de 2022 às 13:24h, atualizado às 16:09h
  • Clara Oliveira

O legado de muitos cantores é, na grande maioria das vezes, a música, mas, no caso de Mumuzinho, não é o único… Em entrevista ao podcast Bulldog Show, o artista falou que o seu maior legado é a solidariedade no ambiente artístico, como ajudar profissionais do ramo em início de carreira. Esse foi o caso de Dilsinho, que tinha o trabalho muito rejeitado por algumas rádios, de acordo com o ator.

“O meu maior legado não serão as minhas músicas. As minhas obras vão ficar aí, muita gente vai cantar, de repente o pessoal vai esquecer, só que o meu maior legado é a história que eu deixo. Qual é a história que eu deixo? ‘Mumuzinho me pegou debaixo do braço, numa época em que o som do Dilsinho era muito rejeitado”, declarou o sambista, que fez questão de ceder espaço para o cantor em seus shows. “Era uma coisa assim ‘quem é esse cara, mano? o que esse cara tá fazendo?’ pop, guitarra? no samba, no pagode?”, completou.

Para Mumuzinho, a humildade do parceiro de profissão, hoje agenciado pelo mesmo escritório que ele, foi o que mais o cativou. Ele contou, ainda, que muitas pessoas que o rejeitavam, hoje correm atrás…

“O que mais me ganhou no Dilsinho foi humildade, família, pé no chão, garoto do bem, puro. Há mais de 6 anos, eu já tinha um respeito na música, peguei debaixo do braço e falei ‘tá comigo’. Muita gente que aplaude e quer fazer feat com ele, eu vi falando mal dele. Hoje mudou o cenário”, explicou.

REJEIÇÃO DE UMA RÁDIO DE SÃO PAULO

Apesar da enorme relevância dos streamings de música, as rádios também são protagonistas quando o assunto é a divulgação de novas faixas e artistas. Durante a conversa, Mumuzinho falou sobre o preconceito de alguns veículos com a inserção de novos nomes no cenário musical. O cantor relembrou um episódio semelhante vivido por Dilsinho.

“Teve uma rádio que pegou o trabalho do Dilsinho e falou ‘isso aqui não vai tocar na minha rádio’. A mesma música que essa pessoa falou é a música que foi a número 1 do Brasil. E hoje o Dilsinho é uma realidade”, disse Mumuzinho sobre a rádio paulista 105 FM.

“Eu tenho o maior carinho pelo radialista, o Calmon, comigo sempre foi um cara muito de boa, sempre apostou no meu trabalho em São Paulo, mas como eu sou muito próximo do Dilsinho, não tem como eu esconder esse sentimento”, explicou o artista.

Confira a entrevista completa: