• FM O Dia

Nelson recebeu a primeira dose da vacina em uma cerimônia no Palácio do Rio em 31 de janeiro | Foto: Divulgação


Hoje o país perdeu um pedacinho da sua brasilidade. O sambista Nelson Sargento faleceu, aos 96 anos, por conta da Covid-19. O músico já havia tomado as duas doses da vacina CoronaVac e mesmo assim não resistiu aos impactos do vírus.

Ele foi internado no dia 20 de maio no Inca (Instituto Nacional do Câncer) e ontem viu o quadro médico dele agravar. Por isso, precisou respirar com máscara de oxigênio, devido a um agravamento no padrão ventilatório e hipertensão.

UMA GRANDE FIGURA! 

Em 1955, a Estação Primeira de Mangueira foi vice-campeã com um samba enredo escrito pelo sambista e o padrasto dele, Alfredo “Português” Lourenço. Trata-se de “Primavera”, que ainda é popularmente conhecido como “As Quatro Estações do Ano”. Esta canção é tida como uma das mais bonitas já feitas.

Entretanto, não é o único sucesso de Sargento, que também fez sucesso com “Agoniza Mas Não Morre”, “De Boteco Em Boteco” e “Falso Amor”.

Ele também curtia trabalhar em conjunto. Participou de “A Voz do Morro” (com Paulinho da Viola, Zé Kéti, José da Cruz, Elton Medeiros, Jair do Cavaquinho e Anescarzinho) e “Os Cinco Crioulos” ( com Mauro Duarte e os últimos três do grupo anterior).

O sambista desfilou pela última vez pela Mangueira em 2020. Ele  interpretou José, o pai de Jesus, com o enredo “A Verdade Vos Fará Livre”, do carnavalesco Leandro Vieira.

O Holofote deseja toda força do mundo para a família de Nelson Sargento e aos apreciadores do trabalho do artista.