• Antônio Jordão

Luísa Sonza “deu o nome” em sua estreia na TV americana, neste domingo (28). Ela participou de uma live da Parada LGBTQIA+ de Nova York, que foi transmitida pela rede de TV “ABC” e também através da Internet. No evento virtual, Luísa cantou ‘Boa menina’ e mandou um breve recado, em inglês, celebrando a diversidade.

“Olá pessoal, meu nome é Luísa Sonza e eu estou muito feliz de cantar pra vocês e celebrar a comunidade LGBT. Espero que todos estejam seguros e em casa. Enviando todo meu amor pros meus fãs e pro meu país, Brasil!”, disse ela, antes de apresentar um de seus maiores hits.

Em março deste ano, Luísa foi anunciada como uma das atrações da Parada do Orgulho de Nova York, mas com o cancelamento do evento, por causa da pandemia, as apresentações dela e de outros artistas tiveram que ser feitas de casa. A cantora foi a única brasileira no evento, que contou ainda com as participações de Janelle Monáe, Deborah Cox e Billy Porter.

A participação de Luísa Sonza na TV americana foi mais uma janela para a artista mostrar seu trabalho no mercado internacional. Na semana passada, ela apareceu pela primeira vez em um ranking da Billboard americana, ocupando a 21ª colocação na Social 50, lista que mostra os artistas mais populares do mundo nas redes sociais.

A razão da estreia da brasileira na Social 50 foi a repercussão atingida pela música ‘Flores’, parceria de Luísa com Vitão, que ganhou um clipe super sensual com os dois. Lançado em 12 de junho, Dia dos Namorados no Brasil, o vídeo recebeu avaliações negativas em massa, através de ‘dislikes’ no YouTube. Por trás dessa ‘rejeição’, estaria o recente fim do casamento de Luísa e o humorista Whindersson Nunes, e uma suposta traição da cantora.

No entanto, como o ranking leva em consideração o engajamento do público junto aos artistas através das redes sociais, ou seja, quantas visualisações e interações foram feitas sobre determinado cantor ou cantora, essa ‘onda de dislikes’ acabou refletindo nos números de Luísa.