• FM O Dia

Esses dois aí em cima, pra quem não sabe, são Tomé Abduch (esquerda) e André Marinho (direita). Os dois protagonizaram uma discussão que acabou em porradaria. O motivo? Política. 

Os nervos esquentaram após uma acusação de traição. Segundo Abduch, Paulo Marinho – pai de André Marinho (e presidente do PSDB no Rio de Janeiro) – teria traído o presidente Jair Bolsonaro. As vias de fato aconteceram ao vivo durante o programa Pânico.


Vendo tudo ali de camarote, Daniel Zukerman contou, durante a Resenha Proibidona, algumas curiosidades da briga. A cena foi cortada na edição do programa, mas acabou viralizando na internet.

“O mais engraçado dessa briga é que o André Marinho roubou o sapato do Tomé Abduch. Termina assim a briga. Isso que é maravilhoso. Isso ninguém conta, hein! Ele roubou o sapato do André porque ele não gosta do sapato dele, porque é um sapato italiano e o André não gosta dele …”

 

Daniel disse também que achou que tudo não se passava de uma brincadeira:

“Eu realmente achei que era uma zoeira. Que o Tomé tava brincando. E aí os caras foram pras vias de fato (…) Eu acho que quando tá na discussão política e você tem sua opinião, cada um tem liberdade pra falar (…) Acho que o erro lá é ir no pessoal, no CPF (…) Eu acho a briga do CPF é ruim, a briga da rede social é péssima”, contou.

Segundo ele, os ânimos já estavam quentes antes de o programa começar por conta de publicações na internet:

“Aquela briga não aconteceu no Pânico, aquela briga veio do Twitter, veio de uma postagem (…) O Tomé veio diversas vezes no programa. Foram várias entrevistas, naquele dia o papo tava muito ‘light’ e aí uma hora o cara estourou e foi pra cima do André e aí foi aquela confusão (…) Pro show do entretenimento, show de bola, pra vida pessoal deles, péssimo né cara”, disse.