• 31 de janeiro de 2022 às 17:43h, atualizado às 17:59h
  • Clara Oliveira

Giba, um dos grandes nomes da história do vôlei brasileiro, relembrou a polêmica que se envolveu quando se manifestou contra a presença da jogadora trans Tiffany Abreu em equipes femininas. À época, ele chegou a propôr um campeonato disputado apenas por transsexuais. Em entrevista ao podcast Bulldog Show, o ex-atleta contou que a situação com Tiffany foi resolvida através de uma ligação que durou uma hora e meia.

“Isso foi um assunto bem polêmico que eu falei, mas graças a Deus eu consegui me esclarecer muito bem com a Tiffany. Apesar dos estudos teóricos que a gente já tinha feito, ela me deu uma aula sobre como ela lutou, como é se sentir mulher sempre. Todo o processo que ela passou pra chegar a jogar voleibol feminino”, declarou.

Questionado, mais uma vez, sobre ser a favor ou contra mulheres trans no vôlei feminino, Giba respondeu:

“Vai de federação pra federação. Cada uma tem uma lei, cada uma tem uma constituição. Umas deixam, outras não deixam. Eu prefiro deixar pras federações e pra que eles façam”.

Por fim, o ex-atacante de ponta falou sobre a gratidão em relação à Tiffany e a longa conversa que tiveram.

“De novo, eu agradeço à Tiffany, por todo carinho que ela teve, por me explicar, naquele momento conturbado, que todo mundo tava colocando um monte de coisa na cabeça dela. Eu liguei diretamente pra ela e falei ‘quero conversar com você, se eu te magoei, te peço desculpas’. Foi uma hora e meia de conversa maravilhosa”.

Confira a entrevista completa: