• Geizon Paulo

Latino está sendo processado pela filha, Dayanna Maia, por falta de pagamento de pensão. (Reprodução/Instagram)

O cantor Latino foi acionado na Justiça pela própria filha. Dayanna Maia, que tem 24 anos e é a mais velha entre os 10 filhos do cantor, cobra o pagamento retroativo da pensão alimentícia que deveria ter recebido desde 2018. O valor chega a R$ 400 mil, segundo informações da colunista Fábia Oliveira, do Jornal O Dia. Por conta do processo, Latino teve a conta bancária bloqueada.

O artista confirmou o não-pagamento da pensão, mas explicou o motivo de não realizar os depósitos. “Quando Dayanna fez 18 anos, eu conversei com ela que ia parar de pagar a pensão porque eu tinha outros filhos menores que precisavam mais. Falei que não ia deixar de ajudar quando ela precisasse, mas que não queria a obrigatoriedade de pagar”, disse Latino, que, a princípio, havia acordado na Justiça que pagaria três salários mínimos para a filha até que ela completasse 24 anos.

O cantor conta que não consegue mais falar com a filha e que descobriu que estava sendo processado por ela ao ter parte de seus bens bloqueados. “Sempre houve diálogo com ela. Dayanna é uma menina que eu amo. Eu a via todo mês. De dois anos pra cá ela sumiu. Não me atende mais, não me liga no Dia dos Pais. Descobri o motivo quando a Justiça levou R$ 44 mil da minha conta, além de ter bloqueado os meus direitos autorais. Fiquei sem acreditar. Achei que se tratava de um processo trabalhista. Acionei meu advogado e então ele viu que era um processo da Dayanna contra mim”, revelou Latino. 

Segundo o cantor, ele tentou um acordo com a filha, mas que a conversa não foi adiante. “Durante a pandemia, eu tentei um acordo. Disse que poderia voltar a pagar a partir de janeiro de 2021. Eu não estou trabalhando e o rendimento caiu muito. Eu dependo da aglomeração para ganhar dinheiro”, disse Latino.

Dayanna, que, segundo o pai, é atriz e trabalha no restaurante do padrasto, disse desconhecer o processo contra Latino, embora ele esteja correndo na 2ª Vara de Família do Rio de Janeiro. O advogado da jovem também não quis comentar o caso.