• FM O Dia

Em entrevista à equipe Holofote, Thiaguinho, que volta à Rádio FM O Dia no dia 30 para se apresentar na Semana Maluca, falou sobre a difícil perda de Antenor Marques Filho, o Gordinho do Surdo. Seu Antenor, como era conhecido, fazia parte da banda do cantor e faleceu, aos 75 anos, no dia 23 de janeiro deste ano, em decorrência da covid-19.

“O Seu Antenor sempre serviu de referência pra mim enquanto homem e enquanto músico. Foram dezoito anos tocando ao lado dele, quando eu entrei no exalta, o Seu Antenor já estava. Então, eu brincava com ele que não era ele que tocava comigo, era eu que tocava com ele. E perder o seu Antenor foi um golpe muito difícil pra gente, um dos momentos mais difíceis da minha vida. Eu sabia que eu amava demais ele e deixava isso claro em todos os meus shows. Isso eu deito com a minha cabeça no travesseiro tranquilo todos os dias porque nunca deixei de falar, ele sempre soube o quanto eu amava e o quanto eu admirava”, relatou o artista, que fez questão de reforçar a presença do amigo: “Continuo relembrando histórias, relembrando dele no palco. E eu sinto ele no palco, sinto ele nas músicas”, completou.

Antenor Marques Filho foi – e continua sendo – um nome importante no cenário do samba brasileiro. O percussionista começou sua carreira no grupo Nosso Samba; depois, integrou o ExaltaSamba, migrando, posteriormente, para a banda que acompanhava Thiaguinho em carreira solo. “A história do samba passa pelo seu Antenor, então não é só no meu palco que o seu Antenor tá, o seu Antenor tá no palco de todo mundo que subir pra fazer um samba”, completou o cantor.