O grupo de samba ‘Entre Elas’ foi a grande atração do Pagodeira da última segunda (2) e, como já entrega o nome, é formado só por mulheres!

Desde 2006 nas rodas de Santa Catarina, o ‘Entre Elas’ é formado por Gi Guedes na voz, Jéssica Antunes no cavaquinho, Manoela Pires no violão, e Juh, na percussão.

Ao Holofote, as meninas, que alcançaram visibilidade nacional no Cacique de Ramos, contaram como tudo começou:

“O grupo nasceu, acho que como todos os grupos, né? Uma brincadeira, churrasco, amigas. E nessa brincadeira surgiu a vontade de profissionalizar logo nos primeiros eventos que a gente fez, as casas lotaram, o pessoal abraçou a ideia, a gente caiu na mídia e aí veio a necessidade de profissionalizar quem realmente queria viver isso e quem realmente era apenas uma brincadeira, nisso, nós chegamos a essa formação aqui”.

As sambistas, que têm como inspiração nomes como Beth Carvalho e Ivone Lara, ganharam o prêmio de música catarinense com a canção “Aqui é meu Lugar”.

“Foi incrível, a gente tava no Rio de Janeiro, voltou pra receber o prêmio, foi o primeiro samba que ganhou um prêmio da música catarinense. Essa música ficou por quatro anos na televisão lá em Floripa e virou um segundo hino da cidade”, contou a vocalista.

Em “Lugar de Mulher”, música que tem o Pretinho da Serrinha como um dos compositores, as meninas do ‘Entre Elas’ cantam que “lugar de mulher é aonde a mulher quiser”.

“Ela pode assumir um comando, ela pode ficar no poder e viver uma vida cantando, semeando amor e prazer. Ela pode parar num boteco, com alguém e até mesmo sozinha, a mulher conquistou seu lugar…”, ressalta a letra da faixa.

Ver um grupo formado por mulheres, cantando samba, em cima do palco, ainda é novidade pra muita gente. E, como elas contam, não é incomum ver ali na plateia um ou outro olhar de surpresa e até de preconceito:

“Tem o lado de chamar atenção, tem admiração também, né?! É uma coisa diferente do que o pessoal tá acostumado… Tem a desconfiança muito presente. Graças a Deus, cada dia mais, a gente tá conquistando nosso espaço. Não precisamos mais ter que ficar provando tanta coisa assim, mas ainda é desafiador, com certeza”, contaram.

Gi, Juh, ManoelaJéssica tão conquistando, cada vez mais, o lugar da mulher nos palcos, cantando samba e pagode. E elas sonham com muito mais!

“O sonho é sempre do próprio dia, a gente viver do nosso samba e que o nosso samba chegue a cada vez lugares mais diferentes, pessoas diferentes, que a gente possa transformar a vida das pessoas que tão ao nosso redor e levar alegria pra galera, e representatividade pra que essa mulherada mesmo saiba que o lugar de mulher é onde ela quiser, aonde quiser estar, onde se sentir bem, onde se permitir”, declararam.