• FM O Dia

Pra quem não sabe, a Rádio FM O Dia foi o primeiro veículo de comunicação da face da terra a tocar uma música do Belo, enquanto vocalista do Soweto. E o mesmo aconteceu quando o artista decidiu seguir a carreira solo.

Por aqui, também surgiu a alcunha de “Roberto Carlos” do pagode, como uma forma de homenagear uma das maiores vozes do pagode romântico brasileiro. Nessa quarta (26), no programa Resenha Proibidona, com Leo Dias e Dede Galvão, o artista comentou o “título” e evitou comparações.

 

“Você (Dedé Galvão) foi o cara que lançou essa coisa de “Roberto Carlos do pagode”. Todos os lugares onde eu passo, até em Manaus, Belém (…) em tudo quanto que é lugar falam que o ‘Roberto Carlos’ chegou”, contou Belo. 

 

Belo revelou na entrevista que tem o sonho de cantar com o “Rei” e destacou que a nova geração precisa conhecer artistas que o transformaram em quem ele é musicalmente hoje. Já pensou um feat Belo e Roberto Carlos?

“Ele é o meu ídolo. Eu me sinto muito lisonjeado, eu tenho máximo respeito (…) O Roberto Carlos é o meu ídolo, mas eu tenho o máximo respeito por todos os artistas, desde o Flávio Venturini (…) Têm muitos que a galera hoje não lembra mais, como o Beto Guedes ou Lô Borges. Eu sempre faço referência a esses artistas e trago esses artistas pra essa juventude que curte o Belo também (…) Da mesma forma que eu canto PK Freestyle, que é um artista da ‘nova’ geração, eu também levo pra esse público o Lô Borges (…) Eu quero levar um pouco da música desses artistas, que são meus ídolos. É muito gostoso saber que você tem ídolos tão gênios. São minha inspiração”, destacou.